Enterros ecológicos

Se você pretende ser ecologicamente correto até o último suspiro, que tal optar por um enterro que não agrida o meio ambiente?

Essa opção ainda não é muito conhecida por aqui, mas nos EUA, os eco buryngs (eco enterros) são cada vez mais procurados pelos americanos.

Isso porque o país, que é exageradamente consumista até na hora da morte, “investe” muito nos funerais dos entes queridos, e com isso, gera enormes danos ao meio ambiente.

Nos enterros tradicionais dos EUA são usados a cada ano 82 mil toneladas de aço, cerca 2.500 toneladas de bronze e cobre e 1,4 milhão de toneladas de cimento, usado para manter o formato dos túmulos.

Já os processos de embalsamamento representam resíduos de até 3,1 milhões de litros de fluídos de formol, substância que a EPA, Agência para a Proteção do Meio Ambiente dos EUA, qualificou de “provável agente cancerígeno”.

As alternativas verdes

Entre as opções oferecidas pela empresa Natural Burial Company, estão os caixões Ecopod, feito de papel reciclado, o Garden, de fibras naturais, além do Everybody Coffin, construído em madeira e cuja simplicidade lembra os caixões dos camponeses da Idade Média.

Aos que optarem pela cremação, que ainda é a escolha mais ecológica, a empresa oferece as urnas biodegradáveis.
Elas são feitas a partir de fibras naturais e devem ser enterradas no solo a aproximadamente 70 cm de profundidade.

Sinceramente, eu acredito que enterros são práticas ultrapassadas, onde o peso cultural acaba sendo mais forte, principalmente nos países com tradição cristã.

Eu respeito, mas não consigo entender as grandes áreas dentro das cidades destinadas aos cemitérios, que além do desperdício e mau aproveitamento do terreno, ainda podem contaminar o solo e o lençol freático.

Fonte: Atitude Sustentável

Deixe uma resposta