Conhecendo os Parques de São Paulo

Resolvi retomar este projeto de visita aos parques, que foi deixado de lado por um tempo, mas que, felizmente, continua sendo um tema super atual e de cada vez mais interesse da população, muitas vezes carentes desses espaços.

Você sabia que existem hoje mais de 100 parques na cidade de São Paulo?
E foi pensando em conhecer melhor toda essa diversidade que gostaria de estabelecer aqui uma meta, a de visitar e divulgar esses espaços, talvez os mais democráticos da cidade.

A ideia é não ter compromisso com prazos ou mesmo com o número de parques visitados, mas sim a de conhecer de perto as principais características de alguns deles, seus projetos socioambientais e apresentá-los aqui com algumas imagens e peculiaridades.

Neste post estarão os links para cada parque, sempre atualizados após cada publicação, confira a seguir:

Sobre os parques municipais

Os parques municipais são classificados em três tipo: urbanos tradicionais, lineares e naturais, conheça a definição de cada um deles a seguir.

  • Parques urbanos tradicionais: são grandes espaços verdes localizados em áreas urbanizadas de uso público, com o intuito de propiciar recreação e lazer aos seus visitantes. Em sua maioria, oferecem também serviços culturais, como museus, casas de espetáculo e centros culturais e educativos, além de frequentemente ligados a atividades esportivas, com suas quadras, campos, ciclovias, etc.;
  • Parques lineares: caracterizam-se como uma intervenção urbanística associadas aos cursos d’água, principalmente aqueles agregados ao tecido urbano, e tem como principal objetivo proteger e recuperar o ecossistema ligados aos corpos d’água, conectar áreas verdes e espaços públicos, controlar enchentes e propiciar áreas verdes destinadas a atividades culturais e de lazer;
  • Parques naturais: são grandes áreas verdes, fora de uma área urbana, protegidas por lei, com o objetivo de preservar a flora e a fauna local e proporcionar um ambiente de lazer. Podem possuir áreas para camping, canoagem, caminhadas e piqueniques. Muitos parques naturais são centros turísticos, por abrigarem monumentos naturais, como grandes montanhas e cachoeiras, por exemplo.

Fauna e flora

Numa cidade tão populosa como São Paulo, a diversidade de seus habitantes é
esperada e evidente, mas o que poucos sabem, é que há um grupo de paulistanos
ainda mais diversificado e numeroso, a fauna.

São mais de 700 espécies, com os mais variados hábitos, cores, formas e sons e essa rica fauna tem relação direta com os distintos habitats fornecidos pela Mata Atlântica, cuja geografia, hidrografia, umidade e clima dão as suas contribuições.

A flora, isto é, o conjunto de espécies vegetais de uma região, também é bastante
diversificada no município de São Paulo. Considerando-se os registros dos últimos
100 anos, listaram-se aproximadamente 3.100 espécies vasculares (pteridófitas,
gimnospermas e angiospermas), sendo 84% nativas no município.

Referências

Gostaria de agradecer ao Leandro Marques Bondar, hoje Coordenador de Parques da  Região Centro Oeste pelo DEPAVE 5, que me presenteou com o Guia dos Parques Municipais de São Paulo, de grande valia nessas consultas.

O guia traz informações sobre fauna, flora, infraestrutura, particularidades, linhas de ônibus, um grande acervo de fotos, mapa dos parques por distrito e páginas especificamente voltadas aos parques naturais e unidades de conservação.

A publicação de 230 páginas foi produzida e editada pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente com apoio da SPTrans, mas o download da versão digital pode ser feito aqui.

Bom, espero que vocês acompanhem, participem comentando e divulguem os posts com os parques visitados!

Deixe uma resposta