Sobre iluminação

Logo no começo da faculdade (há muito tempo atrás…), eu fiz alguns cursos de iluminação no Philips Lighting Center, em São Paulo, que me ajudaram muito a entender alguns conceitos luminotécnicos importantes na hora de projetar.

Que tal então conhecer um pouco dessas informações que poderão ajudá-lo, profissional da área ou consumidor final, na hora de escolher a iluminação mais adequada aos seus projetos ou mesmo à sua casa.

Luminotécnica

É o estudo da aplicação da iluminação artificial em ambientes internos e externos, sendo que o maior desafio está em proporcionar sensação de bem estar aos usuários, de acordo com as características e funções de cada ambiente.

Índice de Reprodução de Cor (IRC)

É a relação entre a cor real de um objeto ou superfície e a aparência percebida diante de uma fonte luminosa. Esse índice varia de 0 a 100%, sendo que, quanto mais próximo de 100%, maior a fidelidade e precisão das cores dos objetos.

Confira o IRC nas embalagens das lâmpadas, para o dia a dia, escolha as com índice a partir de 80, que oferecem boa reprodução de cores ou ainda as com IRC igual a 100, como as halógenas, muito usadas em lojas, para reproduzir com fidelidade e valorizar determinados produtos.

 

índice de reprodução de cor

Temperatura de cor

É a aparência cromática da luz emitida pela fonte luminosa e quanto mais alta a temperatura de cor, mais branca é a tonalidade da luz emitida. A escolha da tonalidade da cor da luz que a lâmpada emite é muito importante para criar o ambiente que desejado.

As lâmpadas que emitem uma luz mais amarelada, também chamadas de luz suave ou luz quente, tornam os ambientes mais aconchegantes e são indicadas para locais de descanso ou lazer como salas de estar, salas de jantar, salas de TV e quartos.

Já as lâmpadas que emitem luz mais azulada, também chamadas de luz clara, luz fria ou luz do dia, tornam os ambientes mais estimulantes e são indicadas para locais de atenção ou trabalho, como salas de estudo, cozinhas, áreas de serviço e banheiros.

Apesar das indicações, a escolha de temperatura de cor pode seguir as preferência pessoais dos usuários de cada local, já que o conceito de bem estar é muito subjetivo e não pode ser mensurado. É possível escolher a temperatura de cor indicada na embalagem da lâmpada (em Kevin), que varia de 2.700 K (luz suave, amarelada e quente) a 6.500 K (luz clara, azulada e fria).

 

temperatura de cor

Fluxo luminoso e Iluminância

Medido em lúmen (lm), o fluxo luminoso é a quantidade total de luz emitida pela lâmpada, que, nesse caso, deve ser escolhida de acordo com o tamanho de cada ambiente.

Já a iluminância, é o fluxo luminoso que incide em uma área, ou seja, a quantidade de luz que chega a um determinado ponto. Sua unidade de medida é o Lux, que representa 1 lúmen por m².

Claro que essa foi só uma introdução bem simples, com alguns dos aspectos relacionados ao estudo da iluminação, mas entendendo esses conceitos básicos, já é possível colocar em prática algumas intervenções, que podem mudar completamente as características funcionais dos ambientes, inclusive no sentido de valorizar o uso da iluminação natural, que deve ser sempre priorizado.

 

fluxo luminoso e iluminância

Lâmpadas LED

É importante ressaltar que o mercado já disponibiliza lâmpadas LED equivalentes a praticamente todos os tipos convencionais, só que com as inúmeras vantagens que esta tecnologia tem a oferecer, confira post sobre as vantagens em usar as lâmpadas LED.

Para maiores informações sobre os cursos presenciais ou gravados oferecidos pela Philips Iluminação, entre em contato com o Lighting University via e-mail.

Deixe uma resposta