Praça das Artes

Nesse fim de semana, tive o prazer em ir pela primeira vez a um espaço super interessante no centro de São Paulo, que conseguiu, com seus traços fortes e contemporâneos, se integrar perfeitamente ao contexto histórico do entorno.

Projetada pelo escritório Brasil Arquitetura, a Praça das Artes é um espaço cultural implantado em um terreno de 28.500 m², no quadrilátero das Ruas Conselheiro Crispiniano e  Formosa, da Av. São João e pela Praça Ramos de Azevedo.

Fruto da desapropriação de dez imóveis, do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo e os cinemas Cairo e Saci, a edificação se espalha em várias direções e ocupa o terreno no espaço proposto, entre as construções preexistentes.

diagrama volumétrico da praça das artes
diagrama volumétrico da praça das artes

O novo conjunto integra as sedes das Orquestras Sinfônica Municipal e Experimental de Repertório, dos Corais Lírico e Paulistano, do Balé da Cidade e do Quarteto de Cordas. Abriga também as Escolas Municipais de Música e de Dança, o Museu do Teatro, o Centro de Documentação Artística, além de restaurantes, estacionamento subterrâneo e áreas de convivência.

fachada da avenida são joão  imagem: gabriel cabral/folhapress
fachada da avenida são joão | imagem: gabriel cabral/folhapress
área de convivência aberta entre os blocos de edifícios | imagem: gabriel cabral/folhapress
área de convivência aberta entre os blocos de edifícios | imagem: gabriel cabral/folhapress

A fachada do antigo Cine Cairo foi preservada junto ao edifício voltado à Rua Formosa.

fachada preservada do cine cairo na rua formosa | imagem: vitruvius
fachada preservada do cine cairo na rua formosa | imagem: vitruvius

O edifício do Antigo Conservatório Dramático Musical de São Paulo, que abrigava uma rara sala de recitais, há décadas inutilizada, foi completamente restaurado e reaberto para uso das Escolas e dos Corpos Artísticos do Teatro Municipal.

antiga sala de recitais hoje restaurada | imagem: nelson kon
antiga sala de recitais hoje restaurada | imagem: nelson kon

Houve um grande investimento para o tratamento acústico do prédio, onde foram utilizados até amortecedores para absorver ruídos e vibrações que pudessem ter repercussão nos ensaios.

sala de concertos
sala de concertos com suntuoso lustre central | imagem: nelson kon

Paredes externas e também forros são revestidos com placas de concreto aparente na cor ocre, oferecendo um aspecto irregular e muito interessante ao conjunto.

detalhe da fachada revestida em concreto aparente | imagem: vitruvius
detalhe da fachada revestida em concreto aparente | imagem: vitruvius

Além de todas essas características arquitetônicas citadas, o projeto cumpre o seu papel social, pois serve de palco a eventos abertos ao público e a encontros em suas áreas livres de convívio, vale a pena conhecer!

Fonte: arch daily

Deixe uma resposta