Médicos Sem Fronteiras

Você conhece o trabalho dos Médicos Sem Fronteiras?
Se não, vale a pena ler o texto a seguir e assistir ao vídeo no final da página.
O trabalho deles é incrível e ao conhecê-lo entendemos que algumas pessoas são realmente iluminadas ao se dedicarem com tanto amor aos que vivem à beira do caos.

Quem são:

Eles são uma organização médico-humanitária internacional, independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam.
Também é missão de MSF tornar públicas as situações enfrentadas pelas populações atendidas.

São cerca de 28 mil profissionais de diferentes áreas, espalhados por mais de 60 países, atuando diariamente em situações de desastres naturais, fome, conflitos, epidemias e combate a doenças negligenciadas.

A organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas, que atuaram como voluntários no fim dos anos 60 em Biafra, na Nigéria.
Enquanto a equipe médica socorria vítimas em uma brutal guerra civil, o grupo percebeu as limitações da ajuda humanitária internacional: a dificuldade de acesso ao local e os entraves burocráticos e políticos faziam com que muitos se calassem frente aos fatos testemunhados.

MSF surge, então, como uma organização médico-humanitária que associa socorro médico e testemunho em favor das populações em risco.

médica sem fronteiras em uma das missões | imagem: msf

O que fazem:

Oferecer cuidados de saúde em situações de crise é a base do trabalho de Médicos Sem Fronteiras. Conflitos, epidemias, catástrofes naturais, desnutrição e exclusão do acesso à saúde são os principais eixos de atuação de MSF. Tais situações pedem ajuda rápida, com atendimento médico especializado e apoio logístico.

Além de oferecer atendimento em situações de extrema urgência, MSF também se faz presente em locais onde o sistema de saúde não funciona, ou não existe. A organização oferece cuidados de saúde básica e de prevenção em campos de refugiados, áreas de grande instabilidade ou extremamente isoladas.

Principais modo de atuação:

  • Assistência de saúde primária em centros de saúde e clínicas móveis;
  • Alimentação e nutrição;
  • Saúde materno-infantil;
  • Campanhas de vacinação;
  • Diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças específicas (malária, tuberculose, chagas, HIV/Aids etc.);
  • Atendimento a feridos e cirurgia de guerra;
  • Cuidados de saúde mental;
  • Atendimento a vítimas de violência sexual;
  • Distribuição de alimentos e de itens de abrigo de primeira necessidade;
  • Construção e manutenção de estruturas de água e saneamento;
  • Recuperação de hospitais e clínicas;
  • Treinamento de profissionais (equipe MSF e parceiros de organizações governamentais e não governamentais).

Atuação:

Um projeto pode ser desencadeado pela existência de uma situação de crise que requer uma resposta humanitária ou pelo pedido de organizações internacionais, de um governo nacional ou de outras organizações não governamentais. O primeiro passo é enviar uma equipe ao local para avaliar a situação.

Profissionais de MSF analisam, de acordo com o contexto, o número de pessoas afetadas, as necessidades médicas e nutricionais, a infraestrutura de transportes, água e saneamento, o ambiente político e a capacidade local de responder ao problema. Assim, a organização toma a decisão final de intervir ou não naquele país, determinando as prioridades de saúde, além de compor a equipe que entrará em ação e os recursos necessários para iniciar o projeto.

Quando há uma emergência, uma intervenção pode ser efetuada entre 48 e 72 horas após identificado o problema. Por trás da agilidade de MSF, está um sistema de logística extremamente eficiente. A padronização dos métodos de trabalho, a organização de materiais em kits específicos, a manutenção de estoques permanentes e a experiência dos profissionais permitem que MSF chegue ao local afetado com rapidez e comece imediatamente a socorrer as vítimas.

MSF possui quatro centros de logística na Europa e no Leste da África e estoques de equipamento na América Central e no Leste da Ásia. Dessa forma, materiais podem ser enviados de avião para regiões em crise dentro de 24 horas.

Durante as atividades, a avaliação dos procedimentos é constante, para adaptá-los às necessidades da população atendida. A troca de informações entre o pessoal que está em campo e os centros operacionais é contínua, o que assegura flexibilidade das operações e otimização dos recursos em favor das pessoas assistidas.

Todos os projetos de Médicos Sem Fronteiras têm prazo para terminar. Uma vez supridas as necessidades que levaram à instalação do projeto, MSF começa gradualmente a retirar suas equipes para encerrar o programa, ou para repassá-lo a ONGs locais ou ao governo do país.

Confira um dos vídeos de divulgação do trabalho dos Médicos Sem Fronteiras:

Como participar:

É possível doar a partir de R$30,00 e com esse valor você já ajuda a:

  • Equipar 15 médicos para prestar primeiros socorros em países em guerra;
  • Vacinar 200 crianças contra meningite.

80% dos recursos vêm de doadores privados e graças a essas doações, a MSF consegue atuar com independência de poderes políticos, econômicos e militares.

São mais de 400 projetos, espalhados pelo mundo, levando cuidados de saúde a milhares de pessoas, vítimas de catástrofes naturais, conflitos armados, epidemias, fome, sem discriminação racial, religiosa ou política.

Neste momento, em algum dos projetos tem uma pessoa em uma situação muito difícil, precisando urgentemente de cuidados de saúde e você pode fazer a diferença.

Na minha opinião, todas as pessoas deveriam passar por experiências como a desses médicos, pois esse é o verdadeiro amor incondicional, e só assim perceberíamos como nos apegamos a coisas tão dispensáveis em nossas vidas.

Conheça melhor o trabalho dos Médicos Sem Fronteiras e doe agora!

Deixe uma resposta