O novo paisagismo

A Item 6 Arquitetura e Sustentabilidade está sempre inovando e correndo atrás de soluções sustentáveis para implantar nos projetos de seus clientes.

E foi buscando o aperfeiçoamento de seus conhecimentos que a arquiteta e paisagista Camila Simhon, sócia do escritório, participou do curso de Hortas Urbanas, Ecopaisagismo e Paisagismo Comestível, realizado na Casa dos Hólons – Laboratório de Permacultura Urbana.

Acordar com o canto dos pássaros ou deparar-se com animais silvestres no quintal de casa pode parecer privilégio de quem mora no campo, mas os habitantes de áreas urbanas também começam a usufruir de tal cenário, graças ao ecopaisagismo, uma tendência que ganha força devido ao seu conceito bem antenado com os novos tempos.

Fazer uso de plantas nativas do lugar onde se está projetando, é a principal característica do ecopaisagismo, pois estas plantas espontâneas são mais resistentes ao clima, necessitam um manejo menor, pois nascem naturalmente na região, estando habituadas melhor ao clima e ao solo, barateando a implantação do projeto e o custo do manejo e insumos.

Os ecopaisagistas, ao elaborar um projeto, levam em consideração as questões técnicas e ambientais, o atendimento aos anseios do proprietário e a beleza e o conforto do ambiente planejado.
Para tanto, valem-se, inclusive, de imagens fotográficas ligadas à natureza, com destaque para a flora e fauna da região onde se está implantando o projeto paisagístico.

Trata-se de um novo enfoque dado ao paisagismo, com o objetivo de também agregar informação e formação aos usuários do local, bem como ao pessoal que cuida da manutenção do mesmo, onde, aliado ao projeto, há todo um trabalho educacional voltado à natureza.

Uma vertente trazida pela permacultura e que ainda é pouco explorada é o paisagismo cultivado ou comestível, onde tudo que é colocado no design se pode comer: flores, ervas medicinais, temperos etc.
Este tipo de paisagismo surge como uma forma dos condôminos terem um retorno do alto investimento na manutenção do paisagismo, bem como poderem desfrutar de produtos orgânicos em seus quintais, sem mencionar a importância ecopedagógica desta prática nas cidades.

O paisagismo urbano com uma perspectiva ecológica e permacultural vem a somar no que tange o conceito de cidades sustentáveis ou em transição, sendo mais que uma nova tendência do paisagismo, uma escola paradigmática do uso espacial do verde urbano.

Para conhecer melhor os serviços paisagísticos apresentados, entre em contato.

Fonte: Casa dos Hólons/Neimar Marcos

Deixe uma resposta