Uma nova vida sem carro

Nosso carro indo embora | imagem: arquivo pessoal

“Cada vez que você faz uma opção está transformando sua essência em alguma coisa um pouco diferente do que era antes”. (C. S. Lewis)

 

Adeus, goodbye, adiós, au revoir, auf wiedersehen…

Já faz algum tempo que nos preparamos para este dia, o qual nos livraríamos de vez do carro. Nos programamos por muito tempo para isso, mudamos nossas rotinas pessoais e profissionais, ouvimos muitas críticas e poucas pessoas nos apoiaram, mas sobrevivemos, acredite.

Sempre buscamos qualidade de vida, pré-requisito para morar na maior metrópole do país, com problemas e contrastes proporcionalmente enormes, inclusive em relação ao transporte de seus 12 milhões de habitantes. Também nunca ligamos muito para o carro em si e ao status que ele representa para a maioria das pessoas. Eu, particularmente, detesto dirigir, ainda mais nesse trânsito caótico onde a intolerância fala mais alto e acaba tomando conta das pessoas de bem que se transformam ao volante, prefiro ter a liberdade de me locomover com autonomia e segurança.

Então listo aqui as principais razões que nos fizeram optar por não ter um carro:

  • Não fazer parte e nem contribuir para o trânsito caótico da cidade;
  • Considerável redução de custos (IPVA, combustível, eventuais multas, estacionamentos, desvalorização e manutenção do automóvel, entre outros);
  • Usufruir do comércio e serviços locais à residência, preferencialmente a pé;
  • Ter um contato direto e mais humanizado com a cidade, o bairro e as pessoas que nele vivem;
  • Descobrir novas alternativas de locomoção, como as caminhadas, os itinerários do transporte público e até a bicicleta, quando possível;
  • Ter uma melhor qualidade de vida com mais caminhadas na rotina e fora do estresse causado no trânsito;
  • Não contribuir para o aumento da poluição do ar, que, segundo a OMS, é 90% causada pelos carros nas grandes cidades.

O primeiro passo

Claro que não é fácil, como disse anteriormente, nos preparamos para isso, como família, mas é preciso comprar a ideia, não tem outro jeito. Nos dias de chuva é mais difícil, mas daí penso logo que pegar o carro quando chove em São Paulo pode ser um tormento ainda maior, já que todos têm a mesma ideia.

Mas se você gostaria de poder viver sem carro e não sabe nem por onde começar, uma dica importante é passar a não usá-lo para os pequenos deslocamentos. Você precisa mesmo ir à padaria de carro? Não consegue fazer pequenas compras em feiras de rua ou mercados locais ao invés daquelas compras de mês? A verdade é que a maioria das pessoas acaba tirando o carro da garagem quando existem outras alternativas de uso, por pura preguiça ou comodismo. Sabia que 25% do congestionamento que temos hoje em São Paulo se devem a percursos curtos feitos de carro, com menos de três quilômetros?

Alguns motivadores online

Se você está mesmo a fim de dar o primeiro passo, confira aqui uma lista de “Sete serviços para viver sem carro” que irá encorajá-lo naqueles pontos que ainda insistem em adiar essa mudança de vida.

Esse é demais! Você sabe quanto custa o seu carro por mês? E por dia? O site Meu carro é um monstro vai te ajudar a descobrir.

E não poderia deixar de ilustrar esse post com um clássico da animação dos anos 50, mas que representa muito do que vivemos atualmente no trânsito das pequenas e grandes cidades.

Boa sorte em suas escolhas!

 

Deixe uma resposta