A influência das cores nos ambientes

 

“Todas as cores concordam no escuro”. (Francis Bacon)

A cor pode transformar, animar e modificar um ambiente, todos nós reagimos à cor e atualmente é possível levá-la a todas áreas da vida pelo uso de materiais, tecidos e tintas.
E para a alegria de profissionais e clientes, existe hoje uma infinidade de opções para todos os gostos, desde os mais clássicos aos mais ousados, mas empregá-las seguindo alguns critérios é fundamental para acompanhar a personalidade dos clientes em determinados ambientes e até mesmo o uso de marcas comerciais.

O uso de uma ou várias cores no ambiente pode alterar a comunicação, as atitudes e a aparência das pessoas presentes, além de acalmar, reduzir o estresse e a violência ou aumentar a vitalidade e a energia.
Pesquisas demonstram que quando uma pessoa vê uma cor da qual gosta, todo o seu sistema orgânico fica relaxado, ela muda o seu modo de ver as coisas e torna-se mais otimista.

Alguns significados

As cores definem ações, são usadas para decoração, para esconder, ressaltar, para demonstrar sentimentos e até para a cura. Confira alguns exemplos:

Vermelho: Cor chamativa, de maior poder de atração. Vermelho é calor! Com exceção dos ambientes que requeiram um clima de excitação, o vermelho deve aparecer em áreas de pequena extensão. Cor ligada ao erotismo, no tom escarlate. Faz com que os objetos avancem. Não beneficia a atividade mental, porém é estimulante. Aumenta a tensão muscular, ativa a respiração e estimula a pressão arterial. É indicada para pessoas introspectivas, retraídas;

Amarelo: Representa luz, vida, ação e poder. Sob aspectos psicológicos é considerada a cor da raiva, repulsa, do atrevimento, dos impulsos e da falsidade. Em paradoxo, por se relacionar com o sol, significa alegria e bom humor. Em alguns casos é considerada libertante e intelectual. Em pisos dá a sensação de avanço. Em superfícies de grande extensão pode incomodar devido à intensa irradiação de luz. É sagrada na China, simbolizando o ouro. Foi a cor da moda no fim do século passado;

Azul: Essencialmente atmosférica e fria por natureza. Está mais próxima da sombra. Pode ser usada em grandes superfícies sem se tornar cansativa. É tranquilizante e está ligada à nossa mente. Reduz a pressão sanguínea. No tom violeta simboliza verdade e sabedoria. Usada em ambientes, deve se equilibrar harmonicamente com outras cores para evitar um clima de tristeza e monotonia;

Laranja: Representa a prosperidade, a fartura de frutos, o Sol. Possui a luminosidade do amarelo e a excitação do vermelho. Relaciona-se bem com o ardor e o entusiasmo, a que torna popular. Facilita a digestão e lembra sabores agradáveis. Em sombras e tonalidades “sujas” sugere estabilidade. É fartamente empregada nas sinalizações das indústrias, identificando peças perigosas da maquinaria. Quando adicionada ao preto, é imediatamente destituída de todos os seus aspectos positivos. Passa a representar os desejos reprimidos e intolerância, perdendo sua pureza emotiva;

Verde: Equilibra as emoções. É a cor que menos fadiga a vista, é o equilíbrio entre o calor e o movimento do amarelo e a estática e a frieza do azul. Possivelmente é a cor mais utilizada na arquitetura de ambientes. Quando utilizada no assoalho, tem o efeito do transporte de relva para dentro do ambiente. Na indústria é largamente empregada, por combater a fadiga visual e consequentemente o cansaço físico. Cor mais representativa nas igrejas cristãs simbolizando ressurreição e batismo;

Branco: É a presença de todas as cores. Traz claridade e alegria quando usada como acessório e complemento. Porém em grande quantidade torna-se fria e perde o interesse. Uma habitação toda branca pode oferecer certo encanto para alguns, mas para outros torna-se fria e impessoal. Só será verdadeiramente branco, quando receber uma luz intensa. É associado ao prestígio, economia, distinção, silêncio, leveza, tranquilidade e limpeza. Um corpo branco, teoricamente, reflete a totalidade dos raios luminosos que incidem sobre ele;

Preto: Leves toques de negro pela casa dão um certo aspecto agradável na decoração. Ambientalmente, modifica o efeito das cores, realçando seus tons. Intensifica os valores altos e reduz a intensidade dos baixos. É a cor que reflete menos luz.

O poder das cores no marketing

A cor exerce uma influência muito grande na vida de cada um de nós e disso ninguém duvida.
É certo que não compramos cor apenas por ser cor, ela não é um produto. A cor existe objetivamente, mas em geral nos relacionamos com ela de maneira subjetiva, embora esteja sempre ligada a algo físico ou imaginado em nossos pensamentos.

Algumas cores possuem diversos efeitos sobre os consumidores, algumas estimulam áreas do cérebro as quais podem promover excitação ou tranquilidade.
Sabendo disso, grandes marcas são facilmente capazes de influenciar seu público alvo simplesmente combinando as cores certas.

Você sabia que…

  • 84,7% dos consumidores acham que a cor é mais importante que muitos outros fatores ao escolher um produto;
  • 1% decide pelo som ou pelo cheiro, 6% olham a textura e 93% das pessoas observam o aspecto visual para comprar;
  • 80% das pessoas acreditam que as cores aumentam o reconhecimento de uma marca;
  • A cor pode ser responsável por 60% da aceitação ou rejeição de um produto ou serviço;
  • As pessoas fazem um julgamento subconsciente sobre um ambiente ou produto dentro de 90 segundos após a visualização inicial;
  • Anúncios em cores são vistos 42% mais frequentemente que os mesmo anúncios em branco e preto;
  • Cores podem melhorar em 40% a leitura, entre 55% e 68% o aprendizado e em 73% a compreensão;
  • 2 de 3 consumidores não comprarão um grande produto desejado se este não estiver em sua cor favorita.

Em reformas

Eu, particularmente, adoro os clientes “coloridos” que nos permitem um pouco de ousadia na escolha das cores nos ambientes, sejam eles residenciais, comerciais ou corporativos e tenho alguns exemplos para mostrar aqui.

 

reforma de apartamento em moema | imagem: léo barrilari
área de mesas em loja de bolos no itaim | imagem: arquivo pessoal
lavabo com pastilhas multicoloridas nas paredes | imagem: daisy santos

Bom, essa foi só uma pincelada sobre um tema tão amplo, mas não esqueça que aplicar o estudo das cores é sempre uma ótima ideia, mesmo que em pequenos ambientes. Por isso não tenha medo de ousar, pois muitas vezes sair do óbvio pode trazer resultados bem surpreendentes!

Dica da arquiteta: Se você gosta de colocar a mão na massa, a Adobe disponibiliza o Kuller, uma ferramenta online onde é possível criar paletas de cores a partir de um tom existente ou mesmo explorar os temas já prontos, confira aqui.

Fonte: Viver de Blog e Adobe

Deixe uma resposta