Abraçador de árvores

Você sabe como surgiu o termo abraça-árvores ou abraçador de árvores, usado para rotular, de maneira pejorativa, as pessoas que atuam a favor das causas ambientais?

Uma das expressões mais comoventes dos primeiros esforços de conservação do meio ambiente aconteceu na Índia, na década de 1730, quando um grupo liderado por Amrita Devi, uma matriarca da Bishnoi – uma seita hindu proveniente do Rajastão, no noroeste da Índia, conhecida por se dedicar à proteção do meio ambiente e por acreditar na natureza sagrada da árvores – frustou os esforços do marajá de Jodhpur, que pretendia derrubar as árvores da região para dar lugar a edificações.

Embora os relatos variem bastante, sabe-se que, um a um, os habitantes do vilarejo encontraram a morte à medida que foram cercando as árvores na frente dos empregados do marajá.
Diz-se que, antes de morrer, Amrita Devi disse: “Vale a pena salvar uma árvore, mesmo ao custo de uma vida”.

Até que os esforços de construção fossem abandonados, 362 pessoas de todas as idades perderam suas vidas.
Em resposta à tragédia, as árvores passaram a ser protegidas por decreto real.

Essa antiga forma de protesto hindu deu origem ao Movimento Chipko, também na Índia, na década de 1970, no qual surgiu o termo tree hugger ou abraçador de árvore.

Quem sabe essa história não inspire as pessoas que hoje nem se importam em colocar abaixo uma árvore que esteja obstruindo o seu caminho?

Fonte: “Projeto de Edificações Sustentáveis”

Deixe uma resposta