Pedras nada sustentáveis

Há um tempo atrás, visitei com uma cliente, uma marmoraria bem conhecida aqui em São Paulo, para escolhermos as pedras (mármores e granitos) a serem usados na reforma do seu apartamento.

Na verdade, não ficamos muito a vontade em empregar esses materiais em nossos projetos, mas, infelizmente, ainda não conseguimos abrir mão desses itens nada sustentáveis, já que nem sempre a madeira e outros materiais alternativos são boas alternativas em se tratando de limpeza e higiene nas bancadas de banheiros e cozinhas.

Mas por um momento, nossos problemas haviam chegado ao fim! Eis que surge a vendedora nos apresentando um material chamado Nanoglass como sendo ecologicamente correto, por ser produzido a partir de sobras de materiais, como pó de vidro e mármore.

Ficamos bem felizes com a notícia, afinal, havia bastante tempo que procurávamos um substituto para as pedras convencionais, retiradas de forma agressiva e irresponsável do meio ambiente e ainda através da exploração de trabalhadores.
Só que ao pesquisar melhor sobre o material supostamente alternativo, descobrimos que tudo não passava de uma vendedora mal intencionada (ou mal informada mesmo), sem a menor noção do que estava apresentando.

Assim como o tal Nanoglass, existem outros materiais parecidos, mas todos produzidos a partir de resinas e compostos químicos, ou seja, também altamente nocivos ao meio ambiente e sem qualquer preocupação com o lado social em seu processo produtivo.

exploração de mármores e granitos no espírito santo | imagem: geral notícias
exploração de mármores e granitos no espírito santo | imagem: geral notícias

Pena que ainda somos vítimas de empresas querendo tirar proveito do consumidor através de propagandas enganosas e de produtos apresentados com ecologicamente corretos, verdes ou ainda sustentáveis.
Mas cabe a todos nós ficarmos bem atentos para saber reconhecer o greenwashing nos produtos e também serviços que consumimos.

Fica a dica!

Deixe uma resposta